E-commerce

Minha loja virtual não vende. E agora?

Criei uma loja virtual, mas ela não vende. Qual o problema?

O mundo virtual é muito sedutor. As propostas de dinheiro rápido e fácil, não cansam de chegar nas caixas de e-mail e em pop-ups na tela do seu computador. “Trabalhe em casa e faça rios de dinheiro num piscar de olhos.” E quando a esmola é muita, o santo desconfia - ou pelo menos deveria desconfiar. Mas, você já criou uma loja virtual e não consegue vender nadinha. Bom, ela não vai vender sozinha: arregace as mangas e mãos à obra!


Qual a prevenção?

A primeira coisa a se atentar é que muitas empresas fazem propostas milagrosas de proporções gigantescas, prometendo uma loja virtual capaz de te tornar o novo bilionário da cidade. Mas, vou te contar um segredo: você não fará rios de dinheiro! Pelo menos, não se não traçar uma boa estratégia. “Ah, mas eu conheço muitas histórias de empreendedores digitais, que não tinham nada além de uma ideia e hoje são grandes líderes no mercado.” O sucesso da sua loja virá do seu preparo, do seu talento e da sua sorte. Entenda que o sucesso nunca vem de forma automática e que ele não tem garantia de ser, não mesmo! Ele não será baseado apenas na sorte, no talento ou no seu preparo, mas sim, do conjunto da obra, que te fará um empreendedor digital de sucesso.

minha loja virtual não vende

Vai depender, principalmente da sua capacidade de organização e de previsão. Ou seja, você terá que prever o futuro, de certa forma: ver o que pode dar errado e já se antecipar. Pois o  mercado, não só no e-commerce, está lotado de boas ideias! Mas, de nada adianta uma boa ideia, se ela não for bem aplicada de fato. Se você quer ter sucesso, você precisa no mínimo, conhecimento na área - ou de alguém que tenha esse conhecimento.

Para montar uma estratégia é preciso definir um ponto de partida e um norte, e qual bagagem vai levar com você. Onde estou e onde quero chegar, devem ser as primeiras perguntas ao criar uma loja virtual. Então, defina um objetivo a curto ou médio prazo para a sua empresa. Ele deve ser real e atingível, ou seja, um objetivo que você realmente possa cumprí-lo no período estipulado. Pense, também, em um objetivo a longo prazo, com uma previsão de 5 ou 10 anos, por que não? Isso indica aonde você quer chegar e é importante para definir qual será a energia gasta nessa trajetória. Depois, pense no que você deve fazer para atingir seus objetivos e pronto, agora também temos um norte.

A bagagem que você vai carregar é as ideias, informações, experiências e, claro, a sua energia. Se você não tem o mínimo de experiência, tenha ao menos a informação sobre o negócio.

  • Pesquise tudo sobre o segmento que você pretende atuar: Qual é o tipo de cliente que compra esses produtos? Com quem você vai concorrer nesse mercado?
  • Saiba, também, qual é o ticket médio dos produtos que vai vender e como funciona a compra desses produtos em ambiente online e offline.
  • Quem vai te fornecer os produtos? Vão entregar em tempo hábil? Você será prejudicado no prazo de entrega para seus clientes?
  • Qual a forma de pagamento você vai oferecer? Como dar segurança para seus clientes na hora do pagamento? Vai contratar um intermediador para esse processo?
  • Você conhece todas as tecnologias necessárias para o sucesso na criação do seu site? Uma loja virtual gratuita vai poder te oferecer o suporte que você precisa? Se sua loja virtual não for responsiva, ou seja, otimizada para computador, tablet e smartphone, vai te prejudicar em alguma venda?


Qual o diagnóstico?

Alguma coisa está fora dos trilhos. Não existe um diagnóstico geral para determinar o motivo exato da causa, mas, para uma loja virtual não ter sucesso, podemos pensar em algumas coisas: sua estratégia está direcionada para o objetivo errado, você não está 100% disponível ou sua loja virtual está invisível.

  1. Estratégia Ineficiente:

Não escolher uma segmentação e um nicho de mercado, significa vender de tudo para todo mundo e, ainda, acreditar que é necessário competir com os grandes nomes do e-commerce. Se isso define a sua empresa atualmente é sinal de que você pode melhorar sua estratégia.

Se atirar para todos os lados, uma hora a bala vai acertar você, por isso é melhor se tornar um especialista em um segmento, do que vender um pouco de tudo e não ser expert em nada. Lembre-se, quantidade é diferente de qualidade: foque em seu objetivo e seja o melhor no seu segmento!

Canalizar muita energia para algo que não vai dar certo é desperdício de tempo, dinheiro e empenho, por isso, vá de acordo com os seus objetivos, sempre! Se concorrer com as gigantes do seu segmento está fora da sua realidade, fazer isso, já de cara, é declarar falência antes da guerra acontecer. Imagine só a logística que essas empresas tem: elas podem reduzir o preço, pois compram grandes quantidades a um valor menor; podem oferecer frete grátis para diversas cidades, podem fazer grandes campanhas de publicidade... Ou seja, se você não tem tempo nem dinheiro para concorrer com elas, não gaste o seu empenho com elas. Encare a realidade e concorra dentro do nicho certo, com empresas que você consegue se estabelecer no mercado. Assim, você gastará menos energia para realizar os seus objetivos.

Quanto maior a área, maior será o seu esforço para se manter de pé, principalmente nos primeiros meses, onde suas atitudes definirão os resultados de seu sucesso. Por isso, comece devagar. Não queira abraçar o mundo inteiro de uma só vez. Sobreviver no mercado do e-commerce, principalmente se você é uma micro ou pequena empresa, exige uma escolha primordial: qual o nicho específico para atuar, ou seja, quais indivíduos você irá atingir dentro de seu segmento?

  1. Indisponibilidade: 

Você escolheu montar um negócio online, então deve ter em mente que muitas coisas acontecem offline, no mundo real. Nada é 100% automático e isso exige um tempinho seu a cada dia. O site está lá e você também deve estar! Se você não estiver disponível para seus clientes, muita coisa pode dar errado, inclusive, ele buscar por outra empresa que esteja disponível para ele.

canais de comunicação e-commerce

Ter apenas um canal de atendimento é restringir as possibilidades de contato com o seu cliente, por isso, ofereça pelo menos mais e um canal, seja telefone, e-mail, chat, redes sociais… A diversidade é grande! O importante nisso é que você ofereça canais realmente efetivos. Não adianta oferecer o chat nas redes sociais, se você acessa elas uma vez no mês apenas. Estamos vivendo o período dos micro-momentos, o que diz respeito à rapidez em que as pessoas estão esperando pelas respostas: é tudo muito imediato. Se ele não tem a sua resposta agora, ele vai em outra empresa que tem.

Se você não disponibilizar informações de contato, não vão entrar em contato com você. É meio redundante, mas serve muito bem para explicar a seguinte questão: Se em seu site, só há informações de contato na página de contatos, isso pode dificultar a ligação de um cliente, que não encontrou seu telefone na página inicial, por exemplo. Ele deve encontrar essas informações em qualquer parte que ele estiver.

Não atender o telefone, não passa credibilidade. Fique disponível, pois uma venda pode ser perdida, simplesmente porque te ligaram e não foram ouvidos. Fora que, uma empresa que não atende o telefone, não passa nenhuma  credibilidade. Você não tem que ficar com o telefone 24h por dia, mas descreva em seu site o horário disponível para telefonemas. Caso o seu cliente esteja tentando um contato fora do horário de atendimento, ele deixa um recado por e-mail, ou outro canal que você disponibilizar.

Não ter tempo para responder as mensagens é um tiro no pé, pois muitas pessoas mandam propostas, pedidos de orçamentos e até mesmo dúvidas que se respondidas, levam o cliente a comprar mais. Qualquer que seja o canal que você disponibilizou, não demore para respondê-los e faça isso pelo menos uma vez por dia. E-mail, redes sociais, página de contato: TUDO!

  1. Invisibilidade:

links patrocinados

Não divulgar a sua loja virtual é o mesmo que não existir. “Ah, mas todo mundo que procurar meu segmento no Google, vai me achar.” Não é bem assim que funciona, pois todos querem uma fatia do e-commerce. Sai na frente, quem anuncia primeiro. Ao criar um site, leva um tempo para que ele ganhe a amizade do Google e força nas buscas. O Google analisa mais de 200 critérios para ordenar o posicionamento dos sites, um deles é tempo de existência que, provavelmente, a sua nova loja virtual não tem. Até que tudo se encaixe, principalmente nos primeiros meses, para que sua loja não fique no zero a zero, ou no prejuízo, invista em publicidade: online, offline, boca a boca, nas redes sociais, paga, gratuita… Enfim, o processo de vendas no  e-commerce é parecido com o das lojas físicas. Quanto mais visitas você tem, maior a probabilidade de efetuarem uma compra.

  1. Falta da usabilidade

A sua loja virtual tem um layout super bonito, mas o seu cliente não sabe onde clica para pagar. Vamos tornar as coisas mais práticas. O bonito pode não ser usual e isso vai atrapalhar sua loja a vender. Como aumentar as vendas? Ofereça uma experiência agradável de navegação, fazendo com que ele gaste menos tempo para encontrar o que deseja, seja ao procurar um produto, se encantar por ele, fazer o cadastro no site ou efetuar o pagamento. 
 

Óculos de sol e óculos de leitura, não pertencem à mesma categoria principal, por isso, tenha uma loja com produtos bem organizados e nas categorias certas. Mesmo que o exemplo citado anteriormente esteja na categoria óculos, existem duas subcategorias: de sol e de leitura. Pense assim: ninguém quer clicar na categoria “livros” e encontrar uma lista de produtos para cabelo.

Uma foto pequena e as dimensões do objeto, são só características básicas. Descreva-o para o seu cliente, fale como é usado, por que é usado e por que ele precisa dele. Ilustre-o com fotos de qualidade, nos vários ângulos diferentes, para que possa se ter uma ideia de como é o objeto por inteiro. Algumas fotos devem ser contextualizadas, como por exemplo, roupas, acessórios e outros. Uma foto com alguém utilizando o produto, permite que seu cliente visualize o produto no contexto real e tenha mais noções de tamanho, por exemplo. Confira nossas dicas de fotografia para vender mais.

Não peça o tipo sanguíneo do seu cliente, se você não precisa saber disso, o formulário muito grande, pode ser um motivo de abandono de carrinho, especialmente se usuário estiver em um dispositivo mobile. Peça informações relevantes e necessárias como nome e informações de contato.

Ninguém paga só com boleto, por isso, analise a possibilidade de um intermediador de pagamento, que você possa oferecer várias formas de pagamento, inclusive boleto, com um adicional: a credibilidade e a segurança que ele te oferece.

 

Qual o resultado?

Como dissemos, não existe exatamente uma fórmula para ter sucesso. Não é como uma bula de remédio ou uma receita para bolo. E, principalmente, nada é definitivo, o universo do e-commerce está sempre se atualizando. O importante disso tudo é se informar e nunca perder a energia para empreender. Se não deu certo, levanta a cabeça e bola pra frente: é errando que a gente começa a acertar.

comments powered by Disqus
Newsletter