Curiosidades

Afinal, o que é Open Source?

Entenda o funcionamento do código aberto para melhor escolher o seu site.

Se você está em busca da criação do seu site ou e-commerce, já deve ter ouvido alguns termos técnicos que não fazem o menor sentido à primeira vista. Mas não se preocupe, a gente está aqui para te ajudar! Hoje nós vamos entender o tal do open source, que também é chamado de código aberto. Saber como usá-lo, não é o nosso foco agora, mas entender o que é e como funciona, te ajudará a escolher melhor o seu site.

Ao criar o site, muitas coisas estão envolvidas. Você não está adquirindo apenas uma página na internet ou um layout, mas sim todo o sistema para gerenciar seu espaço virtual. Por exemplo, a loja virtual precisa de um sistema para gerenciar os produtos, o estoque, o carrinho, os relatórios e várias outras funcionalidades que você pode imaginar. Sem a programação é como se o site fosse um espaço vazio, sem nenhuma interação ou possibilidade de alteração. Portanto, o pleno funcionamento dele só é possível com uma série de códigos que inserimos.

Como funciona? Vamos imaginar um diálogo entre você e um estrangeiro, em que ambos não dominem o idioma do outro. Bom, quando pensamos na linguagem de programação, a conversa é mais ou menos assim:

site open source

O diálogo se dá por meio de códigos. Mas você não precisa saber todos eles sempre que quiser adicionar um novo produto para venda. E é por isso que precisamos dos desenvolvedores e programadores: eles escrevem os comandos que queremos, para que o computador faça as instruções comandadas. 

Então, já entendemos para que servem os códigos. E aí entramos na discussão apresentada logo no início: o que é open source

Os códigos podem ser fechados/próprios ou open source/abertos. A diferença entres eles é que os open source, são criados com a colaboração de várias pessoas, no mundo inteiro de forma livre e com a distribuição gratuita, onde todos podem ter acesso.

Para ser código aberto, foi instituído uma série de requisitos, com seus prós e contras. Em suma, ele deve ser de distribuição livre, ou seja, de forma gratuita para qualquer pessoa, sem discriminação de grupos e áreas de atuação. O acesso deve ser legível e inteligível para qualquer programador. Pode ser usado para criação de trabalhos derivados, ou seja, pode modificá-lo desde que passem adiante o novo código gerado. E a licença não pode ter restrições de uso em outros programas.

Já o código fechado, quem o criou começa do zero e decide o que vai fazer com ele. Faz as manutenções devidas, incrementa no que pode, de forma que somente ele consiga ter acesso, ou seja, pode não ser legível ou inteligível para outros programadores, o que o torna menos propício à invasões de hackers.

Nenhum site está 100% blindado contra hackers. Nem os de código aberto nem os de código fechado. Mas qual está mais propício a ser hackeado?

Imagine que há dois bancos. Um é cheio de aparatos de segurança, quase impossível de ser roubado, mas exibe o mapa interno na internet, para qualquer um ter acesso. O outro banco, mesmo que tenha menos câmeras de segurança, não exibe o mapa, ou seja, ninguém não tem nem ideia de onde fica o cofre. O primeiro, pode ser difícil de ser invadido, mas o invasor já sabe onde ir. O segundo, para que alguém o invada, tem que ficar procurando e tentando até encontrar o lugar certo, mas vai ser gasto tanto tempo para isso, que ele vai desistir e tentar invadir outro.

Então é melhor fazer o site de código fechado ou open source

Quem vai criar o seu site, tem muitas facilidades ao usar os códigos open source. Já encontram muitas coisas prontas, que podem ser aplicadas nos layouts. Além disso, a qualidade também é muito boa e sempre surgem novas funcionalidades. No entanto, sempre vemos notícias de falhas de segurança em páginas que utilizam, por exemplo, o WordPress, que trabalham com open source

Essas páginas correm grande risco, pois hackers podem se aproveitar da vulnerabilidade de alguns plugins para invadir as páginas. Podem até conseguir informações confidenciais do banco de dados, como por exemplo nomes de usuários e senhas, além de ter o controle total do site.

O código fechado também não está excluso de ser invadido, mas por ser algo próprio, podem ter menos erros de codificação, tornando-os menos vulneráveis. Além disso, como não são visíveis a todos os programadores, a probabilidade de alguém hackear um site assim é mínima!


Aqui na Construsite Brasil, nós desenvolvemos nossos próprios códigos, o que garante mais segurança para você. Além disso, trabalhamos para que o seu site fique no ar 24h por dia, todos os dias da semana! Fazemos backups e manutenções preventivas e corretivas, ou seja, você não perde o conteúdo inserido, além de ter a garantia de que ele irá funcionar corretamente nas plataformas contratadas.

Quer saber mais sobre a segurança de nossos sites? Entre em contato com a gente!

comments powered by Disqus
Newsletter