Solicitação de Orçamento

O melhor blog sobre sites e lojas virtuais

Blog Dicas para Site / Marketing O que criar primeiro: site ou rede social?

O que criar primeiro: site ou rede social?

Está em dúvida entre criar seu primeiro site ou investir em mídias sociais? Nós preparamos um material completo que com certeza vai te ajudar. Acesse já.

por Time Construsite

Existem duas ferramentas que, hoje em dia, são essenciais para a comunicação de qualquer empresa: site e redes sociais.

Dificilmente você encontrará uma empresa com expressivos resultados online e que não conte com os dois recursos acima citados.

Mas, no desenvolvimento de uma estratégia digital, por vezes somos colocados diante de decisões que precisam ser tomadas, como por exemplo, a escolha entre investir tempo e dinheiro na construção de uma rede social ou de um site.

Se você está nesse momento, este artigo é para você!

Vamos entender a dinâmica das redes sociais e do site e suas relevâncias para a atuação no universo digital.

Ao final do texto você saberá com certeza qual o melhor caminho a tomar: criar site primeiro ou investir em redes sociais?

Boa leitura!

A finalidade das redes sociais

Redes sociais são soluções, que podem ser sites ou aplicativos, que permitem o compartilhamento de informações e experiências entre pessoas.

Embora cada uma tenha sua particularidade, a rede social é um instrumento de conexão, e os usuários estão lá justamente por isso.

No Instagram, por exemplo, as pessoas estão dispostas a estabelecer conexões a partir de suas histórias e conquistas pessoais.

No LinkedIn, a conexão se dá através do crivo da experiência profissional.

No Twitter, as conexões ocorrem a partir de gostos particulares, como a opção política, por exemplo.

As empresas podem aproveitar o fator conexão e experiência dentro de sua estratégia pessoal de comunicação e posicionamento de marca.

Por que usar redes sociais na estratégia de marketing?

As redes sociais podem ser poderosos aliados dentro da estratégia de comunicação de uma organização.

A principal razão para isso é justamente a oportunidade de estar onde o cliente está.

Proximidade com o cliente

É muito mais fácil você tornar-se íntimo de alguém que você visita a casa todos os dias, do que de alguém que você vê apenas uma vez por ano.

As redes sociais são uma forma de entrar na intimidade das pessoas de forma direta e natural.

Ocorre, no entanto, que muitas empresas não sabem usar as redes sociais da forma correta.

Você abriria sua casa para alguém que chegasse em seu portão gritando desesperadamente: “Quero vender para você! Quero vender para você!”?

Com certeza não.

Mas talvez abriria para uma pessoa que dissesse: “Tenho um super babado para te contar”.

Isso ocorre não porque somos fofoqueiros (ok, um pouquinho só).

Mas porque nossa mente funciona de modo a priorizar e valorizar conteúdos e informações de valor, ao mesmo tempo que desprezamos aquelas conversas que apenas nos querem vender algo.

As redes sociais podem funcionar justamente para isto: entregar conteúdo que conecta e relaciona, fazendo seu cliente abrir a intimidade para você;

Geração de valor

Em segundo lugar no que diz respeito às redes sociais, precisamos destacar o fator de geração de valor.

As redes sociais devem integrar a estratégia digital de uma empresa justamente porque podem gerar valor para o cliente, enriquecendo a relação com a empresa.

O valor é aquela expectativa que o consumidor tem a respeito de uma empresa, de um serviço ou produto.

As redes sociais podem elevar a expectativa do cliente, fazendo com que o mesmo esteja disposto a pagar muito mais por aquilo que você tentará vender para ele no final da sua jornada.

Inserção no dia a dia

Outro fator indispensável ligado às redes sociais é a presença no cotidiano do consumidor.

As pessoas usam cada vez mais as redes sociais. Só no Brasil, os dados sobre redes sociais apontam que:

  • 150 milhões de pessoas usam as redes sociais;
  • isso representa 70,3% da população;
  • 90,4% dos millennials (nascidos entre 1981 a 1995) usam redes sociais
  • entre os baby boomers (nascidos entre 1946 e 1964) o número é menor, 48,2%;
  • na geração X (nascidos entre 1965 e 1981) o número também é alto, 77,5%.

A finalidade do site

A função do site é ainda mais profunda que a das redes sociais.

De forma alguma o site pode ser encarado como antagônico às redes sociais, pelo contrário, são complementares e representam uma continuação do outro.

O site tem um papel mais institucional e ao mesmo tempo comercial. Se a rede social cria relacionamento, ao criar site você terá uma poderosa ferramenta de aprofundamento.

Além disso, o website também apresenta de forma mais clara os produtos e serviços, gerando uma compreensão maior a respeito da empresa, que as redes sociais não podem fornecer.

Por que usar site na estratégia de marketing?

Uma boa estratégia de marketing precisa considerar as várias fases e momentos do consumidor.

O site é responsável por falar ao potencial cliente em diversos momentos de sua jornada, podendo ser útil desde a atração, passando pelo relacionamento e chegando à venda.

Sob o ponto de vista comercial, portanto, o site é um grande parceiro, o que por si só justifica o investimento no desenvolvimento de um website.

Mas há, ainda, outras razões práticas para o uso do site em uma estratégia de marketing. Confira:

Páginas mais longas

O site permite a criação de páginas mais longas e com mais conteúdo.

Isso é positivo pois garante uma compreensão muito mais aprofundada do que as redes sociais com uma única imagem e uma legenda com caracteres limitados.

Além disso, por natureza, quem navega em um site está muito mais disposto a consumir um conteúdo maior, enquanto as redes sociais são marcadas pela velocidade e objetividade nos conteúdos.

Informações mais completa

Isso abre a possibilidade para que o usuário tenha acesso a informações muito mais completas sobre o produto ou serviço, tirando dúvidas e quebrando objeções.

Páginas de produto e de venda podem, nesse sentido, contar com recursos de escrita persuasiva, também conhecida como copywriting, para incentivar a tomada de decisão por parte do cliente.

Resultados orgânicos

Um dos pontos positivos centrais do site está na possibilidade de galgar resultados orgânicos.

Os resultados orgânicos são aqueles links que aparecem no Google quando você realiza uma pesquisa.

Ao criar site otimizado e com uma alta frequência de conteúdo, você terá a melhor forma de conquistar posições orgânicas de forma expressiva.

Embora conteúdos de redes sociais também possam aparecer no Google, a frequência com que tais conteúdos conseguem bons resultados é muito pequena.

Identidade visual e branding

A identidade visual e o fortalecimento da marca também são grandes diferenciais do site.

Nas redes sociais o cliente está exposto a muitas marcas, cores e identidades visuais, o que prejudica a lembrança da sua marca.

No site, em contrapartida, o usuário tem uma verdadeira experiência de imersão na sua marca, sendo que todos os recursos visuais estão lá justamente para isso.

O resultado, naturalmente, é uma experiência muito mais positiva e favorável para sua empresa.

A jornada de compra do cliente

Para melhor entendermos tudo isso, vale a pena voltar nosso olhar para a jornada de compra do cliente.

A jornada de compra é uma forma lúdica de compreender o processo de relacionamento entre a marca e o usuário, cujo ponto culminante está na venda.

De forma resumida, podemos resumir a jornada de compra em quatro fases:

  • aprendizado ou descoberta: momento em que o cliente tem um primeiro contato com a marca, geralmente em busca de tirar alguma dúvida ou informação relevante;
  • reconhecimento do problema: depois do primeiro contato, o cliente será introduzido à consciência de que tem um problema que precisa ser resolvido, e tal problema tem ligação direta com o produto/serviço da marca;
  • consideração da solução: na terceira fase, o cliente começa a buscar formas de resolver seu problema. A marca se apresentará como a melhor solução;
  • decisão de compra: tendo passado por todas as fases anteriores, o cliente está pronto para, enfim, tomar uma decisão pela compra.

O site pode aparecer e ajudar em todas as fases da jornada de compra.

No aprendizado ou descoberta, por exemplo, a partir de posts de blog que, bem ranqueados no Google, podem fornecer respostas a dúvidas comuns do usuário.

Esse mesmo conteúdo pode, aos poucos, introduzir o cliente ao reconhecimento do problema e consideração da solução.

A decisão de compra também pode contar com a ajuda do site, sobretudo através de páginas de venda e páginas de produtos.

5 razões para investir primeiro em um site

Com tudo o que falamos até aqui, ficou bem evidente que não estamos propondo aqui um jogo de opostos.

Você não deve escolher entre redes sociais ou criar site. O ideal é trabalhar essas duas realidades de forma complementar e integral, dentro de uma estratégia maior de marketing.

Não obstante tudo isso, em muitos momentos vemo-nos diante de situações que exigem decisões.

Se a sua empresa não pode investir em redes sociais e site ao mesmo tempo, sobretudo pelo altíssimo preço que agências de marketing cobram para fazer investimento de mídia e produzir conteúdo para mídias sociais, você precisará fazer uma escolha.

E, nesse sentido, a melhor escolha é criar site, pois este é o pontapé inicial de toda a estratégia de marketing.

Além de tudo isso, podemos destacar ainda:

Ser encontrado quando o cliente busca pelo produto

Já pensou na possibilidade de, um dia, seu cliente pensar no seu produto e imediatamente seu produto aparecer diante dele?

Isso já é quase impossível. E não, não é preciso grandes tecnologias para isso. Basta apenas o Google.

Faça um exame pessoal agora: quando você pensa em comprar algo, qual a primeira coisa que você faz?

Com certeza a resposta foi pesquisar no Google.

Você não está sozinho. A maioria dos brasileiros faz exatamente isso, inclusive seu cliente.

O site é uma maneira de aparecer para seu cliente no momento em que ele estiver pesquisando sobre algo relacionado ao seu produto.

Adotar uma linguagem mais vendável

O site também permite e dá uma liberdade maior para adotar uma linguagem mais vendável, ou seja, falar de forma mais direta e comercial sobre as características dos produtos, de forma a persuadir o cliente à venda.

Nas redes sociais não há espaço para isso, porque a natureza das redes não permite assumir uma linguagem totalmente comercial.

Nas páginas do site, portanto, torna-se possível apresentar o produto com mais detalhes, usar depoimentos, gatilhos mentais e outras estratégias de persuasão.

Ter uma plataforma para compra

Criar site também abre a possibilidade de contar com um local privilegiado para compra.

Isso em dois aspectos: para incentivo da compra, como já falamos no tópico anterior, mas também para ter espaços ou locais onde a compra possa ser realizada de fato, como é o caso dos e-commerces.

Se você deseja vender online, portanto, um site é essencial. Apenas as redes sociais não são suficientes para isso.

Como criar seu primeiro site?

Para criar site é preciso escolher, em primeiro lugar, a tecnologia que será utilizada.

Você pode, por exemplo, investir em uma plataforma de criação de sites, onde você mesmo poderá fazer seu site.

Sites feitos assim são pouco profissionais e têm sérios problemas de performance e de ranqueamento orgânico.

Mas há, ainda, a opção de desenvolver seu site com uma agência profissional. Nesses casos o resultado é bem mais satisfatório.

No entanto, independente da tecnologia utilizada, algumas técnicas são universais. Nós preparamos um conteúdo exclusivo onde revelamos 10 passos para criar um site que consiga resultados em vendas. Acesse e confira.

Autor:

Time Construsite | Marketing
Escalamos os melhores redatores, jornalistas, publicitários, designers e especialistas de mercados distintos, com a missão de criar o melhor conteúdo da internet. Dica da Equipe: Leia 3 textos diariamente para levar sua empresa ao sucesso!
Outros posts feitos por Time Construsite

Comentários: