Solicitação de Orçamento

O melhor blog sobre sites e lojas virtuais

Blog Loja Virtual Dicas para criar loja virtual de produtos importados

Dicas para criar loja virtual de produtos importados

Saiba o que deve ser feito para importar seus produtos para revenda em sites online sem ter problemas e atrapalhar seu lucro!

por Time Construsite

Como criar loja virtual com produtos importados para revenda com nota fiscal

Muito do sucesso de vendas no comércio online se deve à disposição de produtos importados. A demanda no Brasil é crescente por produtos de exclusividade que não se encontram em qualquer lugar.

O consumidor muitas vezes prefere pagar por produtos importados e esperar chegar pelos Correios do que simplesmente comprar outro produto de baixa qualidade nacional que não será igual ao que ele espera.

Durante a pandemia do covid-19, o comércio online apresentou um aumento de 27,7% no número de lojas. Durante todo o período da pandemia houve um salto de até 40% nas vendas online, alcançando a incrível marca de 91% de aumento em produtos importados, uma vez que os consumidores reclusos em casa tinham mais acesso às vitrines virtuais do que a passeios em shoppings. Em 2021, já se estima a abertura de um novo negócio online por minuto.

Investir em produtos importados é uma ótima opção para lojas virtuais. No entanto, muitas se atrapalham quando tem que lidar com fiscalização e toda a papelada e burocracia, pois produtos importados pedem nota fiscal válida e estão sujeitos a impostos na alfândega.

Saiba aqui o que deve ser feito para importar seus produtos para revenda em sites online sem ter problemas relacionados ao fornecimento de nota fiscal. Confira também dicas de sucesso para criar loja virtual de produtos importados!

Antes de tudo, como importar produtos?

O primeiro passo é definir os seus importadores e de onde virão os seus produtos. A campeã de vendas costuma ser a China, mas não vêm só de lá. Algumas plataformas importam também dos países árabes, da Índia e do Japão. Outros importadores escolhidos são os Estados Unidos, com marcas exclusivas americanas.

Definindo de onde virão os seus produtos, escolha fornecedores de qualidade. Alguns dos mais conhecidos internacionalmente, como o Aliexpress e Gearbest, por exemplo, ou plataformas de marketplace como o eBay.

Após isso, defina a forma de pagamento, faça suas encomendas, planeje a data de transporte e a forma de envio, e, o mais importante, exija a nota fiscal de importação.

Produtos importados que chegam no país inevitavelmente passam pela alfândega por todo tipo de inspeção e dependem de ser retirados com a documentação em dia.

É muito importante que o seu fornecedor seja conhecido internacionalmente, de preferência para evitar golpes de grandes proporções que poderiam prejudicar o seu negócio.

Porém, antes mesmo de importar você precisa definir os seus produtos e saber se eles são realmente permitidos para importação.

Há produtos que, pela legislação brasileira, não são permitidos para o comércio ou que dependem de leis específicas para importação. Como é o caso de produtos alimentícios, hospitalares e bélicos, que necessitam de fiscalização e passam por autorização tanto do país de origem quanto do país de destino, antes de serem enviados.

Existem diversas formas de realizar a importação de suas encomendas, basta definir qual formato melhor te atende.

  • Dropshipping: tem feito muito sucesso esta modalidade, pois consiste em realizar as encomendas para seu e-commerce sem depender de estoque para movimentar o negócio. Sua loja faz a venda, mas o fornecedor envia direto o produto para o seu cliente;
  • Importação direta: neste formato, é você que faz a importação e armazena seus produtos em estoque. É a importação mais tradicional que passa pelos trâmites aduaneiros e depende da alfândega. É preciso habilitar-se no Siscomex;
  • Trading company: através de uma empresa habilitada, o serviço de encomendas e importação é terceirizado. Toda a burocracia e dor de cabeça da alfândega ficam por conta da prestadora de serviço a qual você paga;
  • Importa fácil: nesse caso, a importação é um serviço oferecido pela empresa dos Correios do Brasil, que através de sua logística, facilitam toda a burocracia relacionada ao recebimento de mercadorias, uma ótima opção para empreendedores inexperientes.

Produtos mais baratos

Embora muitos produtos de qualidade sejam encontrados em lojas nos Estados Unidos, se o requisito é comprar mais barato é no mercado chinês que você deve investir. Basta comparar as cotações em dólar do que vem direto da China com o que é enviado por contêineres americanos.

Porém, uma vez que se decida optar pelos preços mais baixos, pesquise bem a reputação dos fornecedores que encontrou para saber se a qualidade o atende ou se não se trata de nenhum golpe no mercado de importação.

A forma mais barata de se comprar produtos importados, principalmente da China, é através da pessoa física, pois nela não consta a incidência do imposto de ICMS e algumas taxas de importação.

Na Receita Federal há diferenciações entre declarar sua compra como para uso próprio ou para revenda. Em caso de declaração de pessoa jurídica, todos os produtos serão taxados.

Trâmites legais

No site da Receita Federal você tem todo tipo de informações sobre como fazer a sua importação. Existe, por exemplo, um simulador tributário onde você pode calcular o imposto a ser pago.

Ao verificar que o seu produto está na categoria de importação permitida, o próximo passo é fazer a declaração de importação. Este é um documento de fiscalização necessário, no qual serão registradas todas as informações sobre a operação, os dados fiscais do fornecedor e do destinatário, registros tributários e conversões cambiais.

Nota fiscal

Para a emissão correta da nota fiscal serão calculados todos os impostos incidentes na mercadoria a ser importada. É o que se chama de compliance das empresas, o que significa estar dentro de todas as normas e regras na relação comercial.

Toda empresa tem por obrigação um sistema emissor de nota fiscal eletrônica. Ele é fundamental para transações comerciais internacionais.

Incidem sobre a nota fiscal de importação: o valor aduaneiro, com custo das mercadorias, o frete, o seguro internacional, a taxa de capatazias e mais os impostos incididos.

Entre os impostos podemos contar com o IPI (Imposto sobre produto industrializados), PIS-PASEP, COFINS, AFRMM (Adicional de Frete Para Renovação da Marinha Mercante) Cide-combustíveis E ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços).

O que não consta na nota fiscal: estocagem, despesas bancárias, despacho aduaneiro e de frete nacional.

Revenda: Como estruturar o seu negócio e criar uma loja virtual?

Agora, é o momento de pensar em estruturar seu negócio na internet e criar sua loja.

Planeje sua revenda calculando todos os custos que incidirão nesta compra.

As despesas de importação podem ser computadas pelo lote inteiro e então divididas por peças. Considere a variação do dólar do dia em que você encomendou para a data de chegada, pois uma mudança brusca no câmbio, devido à economia do país, pode fazer diferença na hora do valor aduaneiro.

Definidas suas despesas, acerte o lucro sobre a peça de acordo com o retorno esperado por todo o investimento.

O próximo passo é criar a loja virtual!

Para estruturar o seu negócio é importante ter em mente qual o modelo da loja e o que será oferecido. É a base sólida de seu plano de negócios que o converterá em boas vendas e clientes felizes.

Para isso, trace uma estratégia de vendas e defina qual o melhor modelo para sua loja. Você pode optar por:

  • Plataforma SaaS (Software as a Service): lojas virtuais alugadas que dispõem de serviços facilitando a vida do lojista;
  • Plataforma própria: investimento de alto valor para execução de projeto exclusivo;
  • Código livre: sistema aberto gratuito que pode ser modificado pelo próprio lojista;
  • E-commerces: shoppings virtuais ou plataformas de vendas que oferecem espaço para vender seus produtos com opção de destaque nos anúncios.

É importante definir quais meios de pagamento sua loja virtual irá permitir. Dê preferência pela versatilidade de opções. Faça contatos com as empresas de cartão de crédito de bandeiras internacionais, busque plataformas financeiras que facilitem recebimentos ou que convertam o câmbio de moedas estrangeiras.

Conheça bem as taxas de juros que poderão ser cobradas em compras parceladas. Mantenha os clientes atualizados com novos sistemas e cobranças como o Pix e o Open Banking.

Por fim, mantenha as ferramentas de integração da loja ativas e atualizadas. Seu sistema integrado deve contar com uma atendimento online ativo, boa transportadora, plataformas de pagamento facilitadoras, ações de marketing automatizadas e redes sociais engajadas.

A Construsite Brasil ajuda você a vender importados!

Com uma equipe de profissionais qualificados e experientes, a Construsite Brasil oferece todo tipo de apoio necessário para montar uma loja como você quer.

Entre em contato com nossa equipe de especialistas para planejarmos juntos sua loja de produtos importados, baseada na pesquisa de um bom plano de negócios.

Consultores à sua disposição podem estudar com você qual o melhor modelo e a melhor estratégia para alavancar suas vendas e te orientar quais os melhores caminhos com menos ônus e mais lucro no serviço de importação.

Receba o contato de um especialista

Autor:

Time Construsite | Marketing
Escalamos os melhores redatores, jornalistas, publicitários, designers e especialistas de mercados distintos, com a missão de criar o melhor conteúdo da internet. Dica da Equipe: Leia 3 textos diariamente para levar sua empresa ao sucesso!
Outros posts feitos por Time Construsite

Comentários: